45 3039.5888

VOLTAR

Orientações Gerais

Você está em:
Home » Espaço do Familiar » Orientações Gerais

Prezado familiar,

Sua presença nesse momento é essencial para o paciente com câncer. Apoio, amor, carinho e atenção são estratégias que aliviam a alma do paciente e produzem um novo ânimo de vida, vontade de acreditar na cura. Mas tudo isso deve ser usado de maneira correta e na hora certa, para que não produza efeito contrário. É bom lembrar que você familiar, precisa estar bem para ajudar outrem e saber que limites devem ser respeitados nessa fase. Esse espaço é seu, por isso tire suas dúvidas, compartilhe experiências e desabafe.

Dicas e orientações

O diagnóstico da doença além de abalar o paciente, atinge toda a família e lidar com essa situação nem sempre é tão fácil. Esse espaço de dicas foi criado especialmente para você familiar, aqui daremos algumas orientações que podem te auxiliar nessa fase.

Falando sobre a doença: ter uma conversa nesse período com os familiares é imprescindível, todos da casa precisam saber sobre a doença, os possíveis efeitos colaterais durante o tratamento, bem como as divisões de tarefas na casa nesse período. Se houver alguma dúvida, o ideal é solicitar orientação do médico e esclarecer qualquer coisa com o mesmo.

Cuide-se: não deixe de se cuidar nesse momento, afinal você precisa estar bem psicologicamente e fisicamente para apoiar o paciente, por isso continue sua rotina de exercícios, de alimentação correta e de lazer, isso será muito importante para você, como também para o paciente. Estabeleça limites para o que você pode fazer e peça ajuda quando houver necessidade, distribua as tarefas.

Ouça mais e fale menos: procure ouvir o paciente, não fale muito. Permita que o paciente reclame e chore sua dor, deixe o mesmo ter sua privacidade, seu tempo sozinho. Não exija alegria contínua e nem sorriso todo dia, afinal é um momento difícil. Não faça cobranças e nem pressões.

Dicas gerais: se informe constantemente sobre a doença, tire suas dúvidas com o médico e siga corretamente suas orientações. Esteja atento a sua saúde, mantendo uma alimentação saudável e não deixe de prestar atenção nos seus sentimentos, cuide de seu coração. Busque apoio espiritual e procure desabar com alguém de confiança. Tenha um tempo só para você, saia um pouco, leia um livro, cuide de seu visual, tire o foco por um período do paciente e da doença. Entenda que nessa fase a raiva e o estresse pode levar o paciente a um estado de frustração, mas lembre-se que isso não é com você, não é culpa sua e nem dele, aconteceu, apenas isso. Observe os sinais de depressão do paciente, e, se o caso passar dos limites, busque ajuda médica. Lembre-se que o tratamento altera o paladar, então esteja pronto para ajustar o cardápio da família. Dê apoio e coloque-se no lugar do outro.

De familiar para familiar

Agir com calma e paciência nesse momento é fundamental para a saúde da família e do paciente. Respeite seus limites e reflita sobre algumas atitudes que podem lhe auxiliar: Tenha sempre uma atitude positiva, um olhar de amor e paciência, seu bom humor o ajudará em muitos momentos. Seja um amigo do paciente, sabendo ouvir e apoiar quando necessário, fale de coisas boas, tire o foco da doença e volte os olhos para situações positivas, que atraem alegria tanto para o paciente quanto para você. Dê carinho, abraço e distribua sorrisos, sem forçar nada, que seja da alma, do coração. Coloque-se no lugar do paciente e perceba o quanto está sendo difícil para ele depender muitas vezes de cuidados que até então não precisava. E por fim, chore quando tiver vontade, desabafe com um amigo, não fuja das emoções e receba apoio espiritual, você e o paciente.